sábado, 26 de abril de 2014

É necessário que alguém nos interprete a bíblia?



A palavra do Senhor, é a bíblia. E a bíblia, como já pudemos aprender, não é um só livro, mas um conjunto de livros, escritos por vários autores ao longo dos séculos, que não se conheciam, que viveram, muitas vezes, distantes geograficamente, uns dos outros. São documentos históricos, de valor inestimável, que foram reunidos ao longo dos tempos em um só livro, por conterem coerência entre si, originando assim a bíblia sagrada.   Os escritos sagrados são um presente que Deus deixou ao homem para que não se perdesse ou se desvirtuasse a sua vontade. Poderia ser repassada através da tradição oral, mas Deus preferiu que fosse escrita, de forma a se perpetuar pelos séculos.
De acordo com a igreja e o corpo doutrinário católico, a bíblia necessita de interpretação:
Ler a Escritura dentro "da Tradição viva da Igreja inteira". Consoante um adágio dos Padres, "Sacra Scriptura principalius est in corde Ecclesiae quam in materialibus instrumentis scripta, a sagrada Escritura está escrita mais no coração da Igreja do que nos instrumentos materiais". Com efeito, a Igreja leva em sua Tradição a memória viva da Palavra de Deus, e é o Espírito Santo que lhe dá a interpretação espiritual da Escritura .( Catecismo da Igreja Católica; Interpretação da Sagrada Escritura I.52.4, §113.2 )
No parágrafo 119, vemos a conclusão a que chegam os autores do texto: §119 "É dever dos exegetas esforçar-se, dentro dessas diretrizes, por entender e expor com maior aprofundamento o sentido da Sagrada Escritura, a fim de que, por seu trabalho como que preparatório, amadureça o julgamento da Igreja. Pois todas estas coisas que concernem à maneira de interpretar a Escritura estão sujeitas, em última instância, ao juízo da Igreja, que exerce o divino ministério e mandato do guardar e interpretar a Palavra de Deus"
Ego vero Evangelio non crederem, nisi me catholicae Ecclesiae commoveret auctoritas. Eu não creria no Evangelho, se a isto não me levasse a autoridade da Igreja católica" (Catecismo da Igreja Católica; Interpretação da Sagrada Escritura I.52.4, §119 )
O ponto central desses textos , em minha opinião é revelado no último ítem, que faço questão de repetir aqui: Eu não creria no Evangelho, se a isto não me levasse a autoridade da Igreja católica" . O autor põe  a igreja num patamar superior às escrituras. Afirma que a autoridade de Igreja Católica o levou a crer no evangelho. E se fosse uma outra coisa, que não o evangelho, creria também? Nós temos é de buscar a Deus, nos inspirarmos nEle, evitando cair em doutrinas que são claramente humanas.
 E por falar em doutrina, no ano de 1229, no Concílio de Tolosa, foi tomada uma decisão assombrosa, para a humanidade: A proibição dos leigos lerem a bíblia. Somente o clero passou a ter o direito de acesso e leitura dos textos sagrados. Qualquer um que fosse flagrado com livros sagrados, seria condenado pela inquisição, a morrer das mais terríveis formas.
Partindo desses pressupostos, e da grandiosa influência política , além da religiosa, que a igreja católica exercia nas diversas sociedades, em diversos países, com doutrinas que exacerbavam a palavra do Senhor, venda de indulgências, as perseguições torturas e mortes de vários povos e cidadãos pela  “Santa  inquisição”, o monge e professor doutor em teologia da  Universidade de Wittenberg, na Alemanha,  Martinho  Lutero(em Alemão Martin Luther) lutou contra a venda de indulgências e contra tradições antigas da igreja, que em nada ajudavam a divulgar a palavra do Senhor; ao contrário, muitas vezes atrapalhava. Por isso, após muitos estudos e pedidos de audiências com o Papa, publicou as suas famosas 95 teses, em forma de protesto. Depois disso foi excomungado e perseguido pela igreja católica até o fim de sua vida. Uma de suas propostas era a de que as escrituras não necessitavam ser interpretadas e nem acrescidas da tradição romana.
Outro ponto que os evangélicos defendem: Por que Deus se daria ao trabalho de elaborar as escrituras, dá-las à humanidade , sendo que deveriam ser interpretadas? Ele daria essas escrituras de forma exclusiva a UMA instituição, detentora de grande poderio político e econômico, que imporia seu estilo de vida e religião a outros povos e pessoas, punindo com a morte que não quisesse observar essas regras? Será que foi isso que Jesus ensinou?  Por que então Jesus não  se aliou ao Império Romano, o maior de sua época, a para impor a sua doutrina? Ele poderia aparecer rodeado com um numeroso exército de anjos diante do Imperador Romano, anunciar que estaria fundando sua igreja em Roma e que o império teria de lhe apoiar, senão seria fulminado.  Seria muito mais fácil e lógico(na lógica humana).
Porém Deus tinha planos diferentes. Jesus veio ao mundo para nos salvar da condenação que nos era imposta(1 Ts 5:10); pregou o amor incondicional:  os cristãos   devem amar até mesmo os seus inimigos(Mt 5:44); amar a Deus acima de todas as coisas(Mc12:3);ser  desapegado a riquezas materiais(Mt 6:19-21), não julgar os outros (Mt 7: 1-5), e perdoar incessantemente.

"[...}Que morreu por nós, para que, quer vivamos, quer durmamos, vivamos juntamente com ele." 1Ts 5:10

"  Mas eu lhe digo: Amem os seus inimigos e orem por aqueles que os perseguem[...]" Mt 5 :44 

“ [...]E que amá-lo de todo o coração, e de todo o entendimento, e de toda a alma, e de todas as forças, e amar o próximo como a si mesmo, é mais do que todos os holocaustos e sacrifícios.” Mc 12:33

“Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam; Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam. Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração.” Mt 6:19-21              .

“Não julgueis, para que não sejais julgados. Porque com o juízo com que julgardes sereis julgados, e com a medida com que tiverdes medido vos hão de medir a vós.
E por que reparas tu no argueiro que está no olho do teu irmão, e não vês a trave que está no teu olho? Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o argueiro do teu olho, estando uma trave no teu? Hipócrita, tira primeiro a trave do teu olho, e então cuidarás em tirar o argueiro do olho do teu irmão.” Mt 7:1-5                    .   

“Então Pedro, aproximando-se dele, disse: Senhor, até quantas vezes pecará meu irmão contra mim, e eu lhe perdoarei? Até sete? Jesus lhe disse: Não te digo que até sete; mas, até setenta vezes sete.” Mt 18: 21,22                           .

“[...]E, se pecar contra ti sete vezes no dia, e sete vezes no dia vier ter contigo, dizendo: Arrependo-me; perdoa-lhe.”Lc 17:4

Estes textos estão claros ou precisa de mais alguém para que dê a interpretação? A resposta é óbvia. Então por que dar a palavra do senhor outro sentido , que não aquele que está escrito?
Uma outra questão importante, é que sendo o Senhor Jesus o verbo, a palavra de Deus, como bem descreveu o apóstolo João: 

“No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez. Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens. E a luz resplandece nas trevas, e as trevas não a compreenderam. Houve um homem enviado de Deus, cujo nome era João. Este veio para testemunho, para que testificasse da luz, para que todos cressem por ele. Não era ele a luz, mas para que testificasse da luz. Ali estava a luz verdadeira, que ilumina a todo o homem que vem ao mundo. Estava no mundo, e o mundo foi feito por ele, e o mundo não o conheceu.” Jo 1:1-11

Sendo o Senhor Jesus  a  palavra viva de Deus, e  as escrituras a palavra do Senhor, é lógico que temos o dever de buscar conhecer a vontade de Deus, expressas nos textos  sagrados, para desta forma conhecermos verdadeiramente a Jesus, seus ensinamentos, seus milagres e seu sacrifício de amor por nós.

 “Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de mim testificam;” Jo 5:39

“Então abriu-lhes o entendimento para compreenderem as Escrituras.” Lc 24:45


Não adianta simplesmente ler as escrituras como um livro qualquer. Temos de nos posicionar com reverência e pedir que o Espírito Santo nos revele o verdadeiro entendimento, a compreensão da palavra do Senhor. Por isso, não precisamos de intérpretes ou intermediários entre nós e a palavra de Deus. O Espírito Santo é quem nos dá o verdadeiro entendimento da palavra de Deus.


Everson Leal

Nenhum comentário:

Postar um comentário