quinta-feira, 20 de maio de 2010

PROPOSTA INDECENTE

Há algum tempo os mais observadores podem ver claramente que os homossexuais estão aumentando em número e procurando se tornar uma casta especial, com privilégios jamais dados a qualquer grupo social em toda a história do Brasil e da maiorida dos países do mundo . Querem ter direitos de manifestarem a sua homossexualidade, pois dizem que nasceram assim. E querem impedir a todos de discordarem de sua maneira de ser. Justificam que nasceram assim. Como assim? Existe por acaso algum cromossomo G ou H? Só existem dois cromossomos, o X e o Y , masculino e feminino. E no entanto foi aprovado na calada da noite , um projeto de lei nefasto que proíbe e criminaliza discordar de tais práticas. Prestem atenção:NÃO SE PODE NEM MESMO DISCORDAR, pois quem o fizer será taxado de criminoso, e homofóbico. Não se poderá nem mesmo escrever nada contra, pois será apologia à homofobia. Poderão então classificar a bíblia como um livro homofóbico, proibí-lo ou pior, modificá-lo, suprimindo as partes que condenam o homossexualismo. Na verdade o que se quer é calar a voz de Deus e a razão, pois pais não poderão recriminar os filhos que apresentem comportamentos afeminados; não poderão dispensar uma babá por ser ela uma homossexual, mesmo sendo a família de uma formação moral e religiosa completamente antagônica a tais práticas. Uma voz que se levantou contra tal projeto foi o pastor Silas Malafaia, que em um programa de televisão ao vivo no dia 24 de fevereiro de 2010, demonstrou grande habilidade na hora de comprovar a má intenção do projeto levando a autora de tal projeto infeliz e autoritário a ficar sem palavras para defenter a sua proposta indecente.





Parabéns Pastor Silas. O Brasil precisa de pessoas de valor e corajosas como o senhor.

Que fique bem claro que nós não somos contra os homossexuais; somos contra o homossexualismo, tudo o que ele representa e suas consequências.Quanto aos homossexuais, eles têm cura; é só admitir o problema e procurar a Jesus.


Everson Leal

Nenhum comentário:

Postar um comentário